Responsabilidade Social

Lei Rouanet

A Lei Rouanet é um incentivo federal para a cultura, que possibilita às empresas direcionarem uma parte do imposto de renda devido (4%) para projetos culturais. A IGB é adepta da Lei Rouanet e direciona seus recursos à projetos culturais.

SOABEM

A SOABEM, Sociedade Amigos do Bem Estar do Menor da Prefeitura de Barueri, tem como objetivo atender e promover o desenvolvimento pessoal de famílias carentes, ajudando mais de 1200 crianças entre 4 e 13 anos de idade. A IGB apoia a SOABEM com doações e ações espontâneas de seus colaboradores.

FMDCA

A IGB é contribuinte do FMDCA, Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente da Prefeitura da Cidade de Barueri que tem como objetivo beneficiar entidades e projetos sociais através da doação de 1% do imposto de renda devido.

Galeria do Bem

A IGB tem sido reconhecida através dos consecutivos prêmios anuais “Destaque Empresarial” e a sua inclusão na Galeria do Bem, mural na Câmara Municipal de Barueri, inaugurado em março/2009, que homenageia parceiros sociais da Prefeitura e da Coordenadoria do Movimento Barueri, Sou do Bem.

Sustentabilidade

Programa IGB Amiga da Água com conscientização, prevenção à poluição e diminuição do consumo.
Foco no uso eficiente da matéria-prima com diminuição dos resíduos.
Parceria com fornecedores para utilização de embalagens retornáveis.
Enfoque preventivo no gerenciamento de produtos químicos e inflamáveis.
Troca de insumos menos agressivos à saúde e ao meio ambiente.
Utilização de toalha industrial reciclável para limpeza de impressoras e equipamentos.
Coleta seletiva na produção, administração e refeitório.
Disposição final adequada para os resíduos de papel, papelão, tinta, tonner, químicos, chapa de alumínio, blanqueta, embalagens, plásticos, óleo, metal, madeira, lâmpadas, pilha e bateria.
Certificação Selo Verde para resíduos classe I, aparas de papel e chapas offset contaminadas.
Certificação FSC® Cadeia de Custódia.

Projetos

Mamanguá

Berçário marinho e reduto tradicional de caiçaras

CES

Centro de Educação para Sustentabilidade – Alphaville

Berço da Vida

Ninhos de aves brasileiras

Fundação Dorina Nowill para Cegos

Dias de Caiçara

Música

Fundação Maria Carolina

Certificação Selo Verde para resíduos classe I, aparas de papel e chapas offset contaminadas.

O Selo Verde é um incentivo para as empresas adotarem procedimentos adequados em relação ao gerenciamento e destinação final de resíduos industriais gerados. Druck Chemie, nossa parceira na disposição final dos resíduos, certificou o Selo Verde para a IGB.

Os itens certificados são os resíduos classe 1, aparas de papel e chapas contaminadas.

A certificação é um diferencial, uma vez que comprova, através de auditorias e documentações legais, que todas as atividades desenvolvidas foram realizadas seguindo as legislações aplicáveis. Nada seria possível sem a atitude cooperativa e consciente dos nossos colaboradores.

Dar novos passos ampliando a gestão ambiental é o compromisso da IGB e nosso convite a você. Que possamos criar e reforçar parcerias neste virtuoso movimento ambiental.

Certificação FSC® Cadeia de Custódia.

Em agosto de 2009, a IGB adquiriu a certificação SGS-COC-006550, cadeia de custódia FSC STD 40-004 versão 2.0, sistema de transferência FSC Mixed através da SGS ICS certificadora Ltda.

O selo FSC® (Forest Stewardship Council ou Conselho de Manejo Florestal) aplicado aos produtos IGB, possibilita aos clientes solicitar no momento da compra, o uso de papel FSC, garantindo o rastreamento da origem da matéria-prima florestal em todas as etapas da cadeia produtiva, até o produto pronto para o consumo.

“Forest Stewardship Council (FSC), que controla o principal selo para produtos florestais é responsável por um terço das florestas certificadas, naturais ou plantadas, em todo o mundo. Estabelecida no Brasil apenas em 2002, tendo sido fundada em 1990, o FSC certifica uma produção quase inteiramente voltada para exportação.

FSC certifica áreas e produtos florestais. O primeiro tipo atesta que a floresta é manejada de acordo com princípios e critérios estabelecidos pelo FSC. Já a certificação de produtos se dá com base na rastreabilidade da cadeia de custódia, ou seja, a certificadora verifica se a matéria-prima utilizada vem de uma área certificada. Nesse caso, todos os agentes pelos quais passa o material até se transformar no produto final também devem receber um certificado. (Ex.: floresta plantada, celulose, papel, gráfica, produto final)

Conheça os 10 Princípios e Critérios FSC (www.fsc.org.br)

Obediência às Leis e aos Princípios do FSC

O manejo florestal deve respeitar todas a leis aplicáveis ao país onde opera, os tratados internacionais e acordos assinados por este país, e obedecer a todos os Princípios e Critérios do FSC.

Plano de Manejo

Um plano de manejo - apropriado à escala e à intensidade das operações propostas - deve ser escrito, implementado e atualizado. Os objetivos de longo prazo do manejo florestal e os meios para atingi-los devem ser claramente definidos.

Responsabilidades e direitos de posse e uso da terra

Os direitos de posse e uso de longo prazo relativos à terra e aos recursos florestais devem ser claramente definidos, documentados e legalmente estabelecidos.

Monitoramento e Avaliação

O monitoramento deve ser conduzido - apropriado à escala e à intensidade do manejo florestal - para que sejam avaliados a condição da floresta, o rendimento dos produtos florestais, a cadeia de custódia, as atividades de manejo e seus impactos ambientais e sociais.

Direitos dos Povos Indígenas

Os direitos legais e costumários dos povos indígenas de possuir, usar e manejar suas terras, territórios e recursos devem ser reconhecidos e respeitados.

Manutenção de florestas de alto valor de conservação

As atividades em manejo de florestas de alto valor de conservação devem manter ou ampliar os atributos que definem estas florestas. Decisões relacionadas à florestas de alto valor de conservação devem sempre ser consideradas no contexto de uma abordagem precautória.

Relações Comunitárias e Direitos dos Trabalhadores

As atividades de manejo florestal devem manter ou ampliar o bem estar econômico e social de longo prazo dos trabalhadores florestais e das comunidades locais.

Plantações

As plantações devem ser planejadas e manejadas de acordo com os Princípios e Critérios de 1 a 9 e o Princípio 10 e seus Critérios. Considerando que as plantações podem proporcionar um leque de benefícios sociais e econômicos, e contribuir para satisfazer as necessidades globais por produtos florestais, recomenda-se que elas complementem o manejo, reduzam as pressões, e promovam a restauração e conservação das florestas naturais.

Benefícios da Floresta

As operações de manejo florestal devem incentivar o uso eficiente dos múltiplos produtos e serviços da floresta para assegurar a viabilidade econômica e uma grande gama de benefícios ambientais e sociais.

Impacto Ambiental

O manejo florestal deve conservar a diversidade ecológica e seus valores associados, os recursos hídricos, os solos, e os ecossistemas e paisagens frágeis e singulares, e ao assim atuar, manter as funções ecológicas e a integridade da floresta.